NÚMERO 14
MARÇO
ABRIL
 
 
 

 

 


UMA POSTURA
DE RESPONSABILIDADE


O reconhecimento das responsabilidades é peça essencial na construção de relações de confiança. Esta é a regra na LeasePlan, expressa numa responsabilização constante pelas nossas acções perante clientes e parceiros, perante a comunidade e o ambiente. E esta deverá ser também a regra na estrada.
Nos últimos anos, Portugal tem conseguido melhorar o seu desempenho ao nível da segurança rodoviária, apresentando reduções significativas no número de mortes na estrada, mas ainda assim continua a figurar nos piores lugares da sinistralidade na Europa. A segurança rodoviária passa em primeiro lugar por uma condução responsável e esta, por seu lado, implica o respeito pelo


 

 


código da estrada. Por isso, dadas as alterações que entraram em vigor no passado dia 1 de Janeiro, fazemos nesta CONDUZA magazine um resumo das principais mudanças a que deverá estar atento e, a pensar nas suas viagens internacionais, damos conta das variações nos limites de velocidade entre os diferentes países europeus.
Paralelamente, conheça ainda a perspectiva de quem tem a responsabilidade pela concepção, construção e manutenção da infra-estrutura rodoviária, a Estradas de Portugal.
 


Boa leitura,
António Oliveira Martins
 


 

     

 

 

 
 


NOVO CÓDIGO DA ESTRADA
2014

"CONDUÇÃO TEM NOVAS REGRAS DESDE JANEIRO"

 

P.12
CONDUZA
magazine 

 

P.06

LIMITES
EUROPA


Diferentes limites de velocidade na Europa.

 

 

P.08

MAZERATI
100 ANOS
 

Em Lisboa no  Motorclássico.

 

P.20

APSI ESCLARECE
 

Preocupações com o novo Código da Estrada.

 

 

It's easier to leaseplan
A nossa promessa de marca
NÚMERO 14
MARÇO
ABRIL
 
 
 

P.34

ROAD
TRIP


De Azeitão ao Portinho. Uma Arrábida para degustar.

 

índice
P.06 Notícias

P.10 Sugestões

P.12 Novo Código da Estrada

P.20 Notícias LeasePlan

P.22 Zoom:EP

P.28 Em Foco

P.32 LPCard: Springfield
P.33 Passatempo LPCard
P.34 Road Trip: Azeitão
P.36 Oportunidades CarNext
P.38 News GO!

 


 

 

 

 

 

 

 

 

  MARÇO
ABRIL

LIMITE DE VELOCIDADE NA EUROPA
UMA EUROPA A DIFERENTES (LIMITES DE) VELOCIDADES

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

06.
 

 


Terá sido no Reino Unido, em 1865, que pela primeira vez se falou em limite de velocidade nas estradas. Quem circulasse então de automóvel – que só ganharia motor de combustão interna 20 anos mais tarde – não poderia ultrapassar os 3,2 km/h no interior das localidades nem os 6,4 km/h fora delas. Trinta anos depois, o zelo foi moderado e o limite passou para os 23 km/h e, já no despontar do novo século, em 1903, atingiu os 32 km/h. Progressivamente, a par do desenvolvimento da máquina automóvel e da melhoria do traçado e do pavimento das estradas, estes valores foram subindo e hoje, no mesmo Reino Unido, o limite máximo fixa-se nos 112 km/h. A evolução foi no entanto distinta de país para país e actualmente, apesar de podermos conduzir pela Europa quase sem nos apercebermos das fronteiras, a verdade é que muitas vezes atravessá-las implica adaptarmo-nos a novas regras.
De um modo geral, não há variações no limite
 

 

.07
ECO-CONDUÇÃO

Curso de Eco-Condução LeasePlan.
Saiba mais aqui.

 




 

"TERÁ SIDO NO REINO UNIDO,
EM 1865 QUE SE FALOU EM LIMITE DE VELOCIDADE PELA PRIMEIRA VEZ

 




 

 

limite de velocidade no interior das localidades, sendo comum os 50 km/h que conhecemos em Portugal (excepção para o Reino Unido, que, continuando a usar o sistema de milhas por hora, se fica pelos 30 mph, ou seja, 48 km/h). As principais diferenças observam-se nas estradas nacionais fora das localidades, onde os valores podem variar entre os 80 km/h (por exemplo, na Dinamarca) e os 112 km/h (no Reino Unido), mas na grande maioria dos casos é seguida a mesma norma aplicada em Portugal de 90 ou 100 km/h, caso se tratem de estradas nacionais ou vias reservadas. Já nas auto-estradas, a grande oscilação faz-se entre os 120 e os 130 km/h: o primeiro é aplicado não só em Portugal como na Bélgica, na Irlanda ou na Holanda; o segundo vigora em países como Áustria, França, Grécia, Itália e, a partir desta Primavera, também em Espanha. Nas famosas autobahn alemãs, é sabido, não há limite de velocidade, mas é recomendada como velocidade máxima os 130 km/h.
Sejam quais forem os limites definidos, uma orientação é de facto comum a todos os países: a velocidade deve sempre ser adequada às condições da estrada e do estado do tempo. De acordo com dados da Comissão Europeia, 30% dos acidentes mortais na Europa são causados por velocidade excessiva. Por isso, para viajar em segurança por todo o continente, esteja atento à sinalização, que o informará sobre os limites a respeitar, mas, recorde-se, avalie sempre também as condições do momento em que conduz.

 

 

  MARÇO
ABRIL

CENTENÁRIO DA MASERATI
CELEBRADO NO SALÃO MOTORCLÁSSICO

 

 

 

 

 

 

 

08.

 

 


Os 100 anos da mítica marca italiana de automóveis de luxo Maserati vão ser assinalados em Lisboa com uma exposição temática integrada na 10.ª edição do Salão Motorclássico, que decorre entre 4 e 6 de Abril na FIL, Parque das Nações.
“Maserati – Centenário do Tridente” contará com a presença de vários modelos de competição e de estrada, entre os quais o A6G/54 2000 Zagato, o Mistral, o 2500GT, o Shamal ou o Biturbo. A exposição é promovida com o apoio oficial da marca em Portugal,
 

 

.09
  MASERATI - CENTENÁRIO

A6G/54 2000 Zagato, o Mistral, o 2500GT, o Shamal ou o Biturbo vêm ao Salão Motorclássico.

 



 

100 ANOS
A MASERATI
FOI FUNDADA
EM 1914 PELOS IRMÃOS
MASERATI,
ETTORE E ERNESTO


 




 

 




que anunciou recentemente o seu regresso, para já com dois pontos de venda e pós-venda, em Lisboa e no Porto. O importador oficial é a Tridente Portugal, empresa do Grupo F. Pimenta SGPS.
Recorde-se que a marca Maserati foi fundada em 1914 pelos irmãos Maserati, Ettore e Ernesto, com o objectivo de desenvolver automóveis e especialmente motores, além de produzir velas de ignição. O logótipo do tridente, que identifica os automóveis Maserati até hoje, foi desenhado por Mario Maserati, o único artista dos quatro irmãos, inspirado na estátua de Neptuno de Giambologna, localizada numa das praças mais importantes de Bolonha.
O Salão Motorclássico, promovido pelo Museu do Caramulo e dedicado exclusivamente ao mundo do automóvel e do motociclo clássico, será ponto de encontro de entidades tão variadas como stands de automóveis, motociclos e velocípedes clássicos, oficinas especializadas e fornecedores de peças, museus, associações, publicações e até comerciantes de miniaturas de colecção. São esperados 40 000 visitantes.

 

 

   
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



MELISSA 
PLASTIC
DREAM

 

"Cores e modelos
para todos os gostos.
O cheirinho é
inesquecivel.
Girly Shoes,
girly dreams.

 

10.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 


GOLD
MICHAEL KORS

Uma colecção que
nos faz desejar um
verão muito longo.
Acessórios e peças
deslumbrantes para
elas e eles.

 

 



 

 

 

 

 

 

.11

 

GOOGLE GLASSES
O futuro chegou. Para já apenas para quem puder dispender 12 500 dólares. Mas em breve estaremos a tirar fotos com um piscar de olhos.

 


 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

                   PELCOR
                   Made in PT
                   São pelo menos 9 anos
                   de espera para obter a
                   materia prima. Depois
                   de trabalhar e moldar
                   a cortiça temos estas
                   maravilhosas obras.
                   

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

HAVAIANAS
No pé e no bolso

Uma novidade da
Havaianas para os
amanantes da marca.
Agora pode ter o seu
iPhone a fazer "pandan" 
com os chinelos.
Tudo a lembrar o Verão!




 


 

 

 

 

   
 

NOVO CÓDIGO DA ESTRADA
CONDUÇÃO TEM NOVAS REGRAS DESDE JANEIRO

12.

 


Se da próxima vez que entrar numa rotunda decidido a sair apenas numa das últimas saídas se mantiver durante todo o percurso na faixa da direita, não se surpreenda se for mandado encostar pela polícia. Até ao início deste ano, esta era uma prática considerada inadequada; mas agora, todos os condutores que façam as rotundas sempre pela direita quando não pretendem sair imediatamente incorrem numa coima de 60 a 300 euros. A especificação das regras de circulação em rotundas é somente uma das cerca de 60 alterações estabelecidas no novo Código da Estrada, em vigor desde 1 de Janeiro passado, e que mexe ainda em áreas como o álcool, o telemóvel e a relação com as bicicletas.

 

.13

 


it´s  easier to leaseplan
 

 

O LIMITE MÁXIMO
DE 0,5 GRAMAS
DE ALCOOL POR
LITRO DE SANGUE

MANTÉM-SE PARA
A GENERALIDADE
DOS CONDUTORES


 


 

Três meses passados desde a sua implementação, interessa pois recapitular quais as principais mudanças a que os condutores (e também as empresas gestoras de frotas) deverão estar atentos, identificando ainda as questões que têm sido levantadas a propósito da sua aplicação prática.

MAIS ATENÇÃO AO ÁLCOOL E ÀS BICICLETAS
Comecemos pelas mudanças. Além da questão das rotundas que de início expusemos, há também novidades a nível do álcool. O limite máximo de 0,5 gramas de álcool por litro de sangue (g/l) mantém-se para a generalidade dos condutores, mas quem se encontra em regime probatório (com carta há menos de três anos), assim como condutores de veículos de socorro ou de serviço urgente, de transporte colectivo de crianças e jovens até aos 16 anos, de táxis, de automóveis pesados de passageiros ou de mercadorias ou de transporte de mercadorias perigosas, têm agora novo máximo a respeitar: 0,2 g/l. As coimas vão dos 250 euros, caso apresentem taxas entre os 0,2 e os 0,5 g/l, aos 500 euros, se se situar entre os 0,5 e os 1,2 g/l.
Também quem costuma falar ao telemóvel enquanto conduz, usando auricular, saiba que pode agora estar numa situação ilegal se usar um auricular com duas saídas de som, ainda que coloque apenas uma no ouvido. Apesar de muitos telemóveis virem equipados com este acessório, o novo Código da Estrada estabelece


 

 

   
 



AS MULTAS DE
USO DE TELEMOVEL
OU DE NÃO
UTILIZAÇÃO DOS
MEIOS INDICADOS
VÃO DE 120 A 600€

14.

 

que apenas “aparelhos dotados de um único auricular ou microfone com sistema de alta voz” podem ser utilizados durante a condução, sob pena de serem aplicadas multas que vão dos 120 aos 600 euros.
Na relação entre automóveis e bicicletas houve também uma alteração significativa de regras, tendo estas últimas deixado de estar ao nível dos veículos de tracção animal e de animais para passarem a ser equiparadas a veículos a motor. Os condutores deverão ceder passagem às bicicletas que atravessem as faixas de rodagem nas passagens assinaladas e, caso queiram proceder a ultrapassagem, devem abrandar e assegurar que é guardada uma distância lateral mínima de 1,5 m. As multas, para o desrespeito de cada um destas normas, são de 120 a 500 euros. Além disso, assinale-se que as bicicletas passam a poder circular em paralelo (apenas aos pares), excepto em vias de pouca visibilidade ou com trânsito e desde que não causem embaraço ao tráfego, bem como nas bermas, se não perturbarem os peões, e ainda nas faixas bus, caso a autarquia o autorize.
Para os condutores que não têm ainda cartão do cidadão, é de destacar ainda a obrigatoriedade de apresentar juntamente com o bilhete de identidade também o cartão de contribuinte, uma vez que em caso de contra-ordenação a notificação é agora feita para a morada que consta da base de dados da Autoridade Tributária. A multa para incumprimento é de 60 euros, podendo ser



 

 

.15

 

it's easier to leaseplan
 

 


A POLÍCIA É AGORA OBRIGADA A INFORMAR O CONDUTOR DA POSSIBILIDADE DE PAGAMENTO VOLUNTÁRIO DA COIMA PELO VALOR MÍNIMO
 

 

 

 

reduzida para os 30 euros se o condutor apresentar no prazo de oito dias o documento às autoridades.

MAIS INFORMAÇÃO AO CONDUTOR
A par de novos deveres, esta alteração ao Código da Estrada traz também novos direitos aos cidadãos. No momento de comunicação de infracção, a polícia é agora obrigada a informar o condutor da possibilidade de pagamento voluntário da coima pelo valor mínimo se o fizer até 48 horas após o auto, e também em prestações, desde que a multa exceda os 200 euros e as prestações mensais não sejam inferiores a 50 euros nem se estendam por mais de 12 meses. Deverão também esclarecer o condutor de que, após o teste do balão, pode de imediato requerer uma contraprova, cujo resultado prevalece sobre o do exame inicial. Em caso de acidente, torna-se obrigatório
não só o despiste de álcool mas também de consumo de drogas.
Uma regra especialmente importante para empresas com frota e para condutores de automóveis em regime de renting prende-se com o procedimento a tomar em caso de contra-ordenação. “Quando o agente da autoridade não puder identificar o autor da contra-ordenação e verificar que o titular do documento de identificação é pessoa
colectiva”, lê-se no texto da lei, “deve esta ser notificada para, no prazo de 15 dias úteis, proceder à identificação do condutor”.
 

 

   
 


 

 


A ALTURA MINIMA
OBRIGATÓRIA
PARA A UTILIZAÇÃO
DE SISTEMA DE
RETENÇÃO PASSA
DE 1,5 PARA 1,35
METROS. 




 

16.

 

Existindo aluguer operacional do veículo, aluguer de longa duração ou locação financeira, será o locatário notificado para proceder à identificação do condutor. Caso não seja possível fazê-lo, o processo recai directamente sobre a empresa proprietária ou locatária, ficando esta responsável pelo pagamento da coima. Cessa apenas a responsabilidade do locatário caso este consiga provar que o condutor utilizou o automóvel “abusivamente ou infringiu as ordens, as instruções ou os termos da autorização concedida”.
Também em matéria de transporte de crianças, com esta revisão do Código da Estrada as regras são aligeiradas, sendo que se até aqui as crianças até 12 anos e com menos de 1,5 m de altura eram obrigadas a usar sistemas de retenção, agora a altura baixa para os 1,35 m.
A nível de espaço público, é introduzido
o conceito de “zonas de coexistência”, onde os utilizadores vulneráveis (peões, condutores de velocípedes, grávidas, deficientes, idosos e crianças) podem circular e jogar livremente, devendo os condutores não comprometer a sua segurança. Nesse sentido, nestas áreas, que estão identificadas com sinalização vertical, a velocidade máxima permitida é de 20 km/h. Multas de 60 a 300 euros estão previstas para o desrespeito destas regras.
É ainda regulamentada a colocação de cartazes, sendo proibidos sempre que dificultem a passagem de peões nos passeios,

 

.17

  SER CONSCIÊNTE E RESPONSÁVEL
Independentemente de todas as regras impostas existem valores essencias na estrada.
 

a visibilidade do automobilista em curvas e cruzamentos e quando se confundam com sinais de trânsito.

ENTRE DÚVIDAS E EXPECTATIVAS
Não tem sido no entanto sem solavancos que está a ser feito este arranque na implementação das novas regras, existindo dúvidas sobre a sua prática e até preocupações de que possa levar a um aumento de acidentes.
Uma alteração que está a levantar polémica tem a ver com a apreensão de documentos caso a multa não seja paga imediatamente: apesar de a lei dizer que os condutores dispõem de 48 horas para o pagamento, a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR) deu indicação à GNR para proceder à apreensão.  Também relativamente ao limite da taxa de álcool, surgem dúvidas quanto à possibilidade de um condutor profissional que seja identificado a conduzir com mais de 0,2 g/l mas menos de 0,5 g/l poder continuar a conduzir se o fizer a título pessoal. Quanto aos condutores recém-encartados, questiona-se ainda se a aplicação das regras se faz apenas àqueles que comecem a conduzir após a entrada em vigor da lei ou a todos os que até à data não tenham cumprido três anos.
As maiores críticas surgem todavia em matéria de segurança. José Trigoso, presidente da Prevenção Rodoviária Portuguesa, é um dos que já vieram alertar para o aumento de risco associado ao novo enquadramento

 

 


"EM QUE MOMENTO DECIDE O CICLISTA QUE ESTÁ A CIRCULAR NUMA VIA DE VISIBILIDADE REDUZIDA?"
José Trigoso



 

 

   
 

 

 

 

 

 

 

 

 

18.

das bicicletas. “Em que momento decide o ciclista se está a circular numa via de visibilidade reduzida? No mínimo, deveriam ser sinalizadas as vias onde se entende que os ciclistas podem circular a par, para que os outros condutores possam adaptar o seu comportamento”, comentou o responsável em entrevista ao jornal Sol, onde criticou ainda o facto de os ciclistas não serem obrigados a apresentar seguro. De acordo com o último relatório da Organização Mundial de Saúde sobre sinistralidade rodoviária mundial, publicado em 2013, com dados de 2010, Portugal é o segundo país da Europa ocidental com maior taxa de mortalidade na estrada (937 mortes, ou seja, 11,8 pessoas por 100 mil habitantes). O objectivo assumido pelo Governo é o de uma redução de 32% deste valor (para 6,2 mortos por 100 mil habitantes) até 2015, e a contar com os números dos últimos anos está no bom caminho: em 2012, morreram 718 pessoas nas estradas portuguesas; dados provisórios da ANSR apontam para que em 2013 este valor tenha caído para os 591, revelou recentemente o ministro da Administração Interna, Miguel Macedo, sublinhando na mesma ocasião que “a segurança rodoviária é um dos pilares fundamentais e um dos objectivos da actuação” do seu ministério. Resta agora esperar para ver se, apesar de todas as hesitações, irá este novo Código da Estrada contribuir para que continuemos a caminhar nesse mesmo sentido. Rumo a estradas mais seguras.
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

   
 




 

 



NOVAS
REGRAS

ALGUMAS
MEDIDAS
ESSENCIAIS MAS
EXISTE UM LONGO
CAMINHO A
PERCORRER

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

20.

 


APSI ESCLARECE PREOCUPAÇÕES DAS FAMÍLIAS SOBRE NOVO CÓDIGO DA ESTRADA


Apesar de não serem grandes as alterações estabelecidas neste novo código da estrada no que diz respeito às crianças, a Associação para a Promoção da Segurança Infantil (APSI) assinalou já algumas modificações que estão a preocupar as famílias.
Uma delas, aponta a APSI, refere-se à alteração da altura até à qual a criança deve usar um sistema de retenção. Até aqui, esta estava fixada nos 1,50 m; agora com a nova lei, passa para os 1,35 m. Parecendo um passo atrás, a verdade é que a prática tem demonstrado que em crianças mais altas a utilização de um banco elevatório pode torná-las demasiado altas, esclarece a APSI, aproximando-as muito do tecto e  retirando por vezes a possibilidade de beneficiar do
 

 

.21

 
APSI, parceiro LeasePlan
 







A APSI
ACONSELHA
O USO DE
CAPACETE PELAS
CRIANÇAS PARA
PASSEIOS DE
BICICLETA,
MESMO NÃO
SENDO
OBRIGATÓRIO






 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

encosto de cabeça. No entanto, salienta a associação, a lei não proíbe a sua utilização, pelo que sempre que a altura do veículo o permita e se se considerar que o banco elevatório é necessário para uma boa colocação do cinto sobre o corpo da criança, este deverá continuar a ser utilizado.
Também factor de preocupação tem sido a obrigação de que a criança com mais de dez anos que se desloca de bicicleta use a estrada para circular. A APSI reconhece que algumas crianças poderão não estar preparadas para o fazer em segurança, pelo que recomenda aos pais que acompanhem os filhos neste percurso, avaliando e escolhendo as zonas onde o tráfego é mais moderado ou onde existem faixas separadas para trânsito automóvel e circulação de bicicletas. A criança poderá ainda deslocar-se no passeio com a bicicleta pela mão, sendo equiparado a peão, recorda a associação.
Aplaudindo o facto de este novo código da estrada vir reconhecer os utentes mais vulneráveis, como peões e ciclistas, atribuindo-lhe um maior peso no ambiente rodoviário, a APSI lamenta porém que a obrigatoriedade de utilização de capacetes por crianças ciclistas não tenha avançado. No entanto, reafirma, nada as impede de os usar. É preciso ter em conta que a criança tem muito mais dificuldade em equilibrar-se que um adulto e portanto mais facilidade em cair e bater com a cabeça, alerta.




 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

.24
 
 
 

 

TRABALHAMOS PERMANENTEMENTE NA MELHORIA DAS CONDIÇÕES DE CIRCULAÇÃO

 

ANTÓNIO RAMALHO


A segurança rodoviária foi recentemente apontada como um dos pilares de actuação do Governo, depois de um ano de 2013 em que se registaram melhorias significativas. Como avalia a Estradas de Portugal esta evolução da sinistralidade nas estradas portuguesas e a atenção que a matéria tem merecido a nível governamental?
Portugal foi dos países da União Europeia que mais reduziu a sinistralidade, estando actualmente cerca de 30% acima da média UE. Nesta redução, a Rede EP foi a que mais contribuiu, demonstrando bem o empenho e determinação da empresa no combate à sinistralidade rodoviária. Foi recentemente publicada a revisão intercalar da Estratégia Nacional da Segurança Rodoviária, que estabeleceu uma nova visão para a segurança rodoviária em Portugal. A meta para 2015 é de colocar Portugal entre os 10 países da União Europeia com mais baixa taxa de sinistralidade, medida em vítimas mortais a 30 dias

 


 






 

 

 

 

 

.25
   

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

por milhão de habitantes. Em 2012, com base nos dados da ANSR tivemos 68 VM/Milhão de Habitantes.

Qual a análise geral que faz ao novo Código da Estrada, que entrou em vigor no início deste ano? De que modo poderá contribuir para estradas mais saudáveis e seguras?
Um código de estrada é sempre um compromisso entre as regras de segurança e a adaptação a um mundo rodoviário em mudança. As novas normas previstas para os utilizadores vulneráveis que abarcam os velocípedes é um bom exemplo disso; são novos conceitos que precisam de ser analisados e vamos precisar de tempo para proceder a essa avaliação.

Sendo o reforço da segurança e a diminuição dos níveis de sinistralidade uma das suas missões, que trabalhos tem desenvolvido a Estradas de Portugal neste sentido?
Trabalhamos permanentemente na melhoria das condições de circulação na rede rodoviária sob nossa jurisdição. Este trabalho reflecte-se em resultados bastante gratificantes, como o facto de ser na rede EP onde mais se reduziu o número de vítimas mortais em acidentes rodoviários. A análise aos últimos sete anos permite verificar que o número de vítimas mortais na rede a cargo da Estradas de Portugal diminuiu 61%. Também em relação às zonas de acumulação de acidentes, identificados pela ANSR como Pontos Negros, temos realizado um intenso trabalho.
Entre 2010 e 2012  reduzimos o número de Pontos Negros na Rede em 50%.
 

 

 

 

 

.26
 
 


Em traços largos, quais os principais ensinamentos que transmite nas acções de formação para segurança que promove?
Tentamos actuar a vários níveis: comportamental, estrutural e fiscalizador. A EP estabeleceu uma parceria com o ACP, numa acção designada por ACP Kids, que pretende incutir regras de segurança rodoviária a crianças do pré-escolar e 1.º ciclo. Nos últimos anos foram promovidas ainda campanhas de sensibilização como as de acompanhamento e apoio aos peregrinos a Fátima. A EP tem promovido em parceria com outros stakeholders com responsabilidades nesta matéria acções de formação evidenciando a importância de uma actuação criteriosa ao nível de projecto, obra e operação, como contribuição para estradas mais seguras e eficazes. Pretendemos estabelecer parcerias com a ANSR, ao nível da gestão de radares para fiscalização das velocidades, que continua a ser a principal causa da sinistralidade grave.

Um dos factores que muito contribui para a segurança rodoviária é a qualidade das vias, tarefa também assegurada pela Estradas de Portugal. Quais têm sido as grandes melhorias levadas a cabo nos últimos anos?
A Estradas de Portugal realiza regularmente a inspecção e avaliação da qualidade do pavimento dos mais de 14 mil quilómetros de estradas que integram a rede rodoviária sob sua jurisdição. Investimos anualmente cerca de 90 milhões de euros em conservação
 

 

 





 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

.27
 

rodoviária, obras de requalificação e gestão de obras de arte, sendo que mais de 80% deste valor é aplicado na conservação dos pavimentos. Consciente da importância que esta área assume, foi desenvolvido um Sistema de Gestão de Pavimentos dotado do conhecimento e recursos técnicos altamente especializados, onde se destaca um veículo único no país de Inspecção Mecânica com Perfilómetro Laser. Trata-se de um equipamento de elevada precisão que permite a recolha das características dos pavimentos e avaliar com elevado rigor o seu estado de conservação. O resultado deste trabalho revela que a tendência é de estabilização em termos médios, com o índice de qualidade global da rede a manter-se num nível satisfatório.

E o que deverá ser assumido como prioridade num futuro próximo?
Implementação de um centro de prevenção de acidentes; criação de bases de dados de sinistralidade; criação de um observatório de Segurança Rodoviária.

Como tem sido trabalhada a área da sustentabilidade ambiental na Estradas de Portugal?
A sustentabilidade ambiental constitui, desde logo, um dos objectivos constantes do Contrato de Concessão da EP, integrando indicadores de ruído, qualidade do ar, qualidade dos recursos hídricos e fauna. Os resultados obtidos em 2013 igualaram a meta definida, o que significa que não ocorreram incumprimentos que carecessem de minimização. Mas as práticas no âmbito da sustentabilidade ambiental extravasam o simples cumprimento destes indicadores, sendo relevante evidenciar que nas fases de projecto e obra a componente ambiental está sempre presente. Relembra-se que de 2000 a 2012 foram submetidos a avaliação de impacte ambiental 96 projectos, que representam cerca de 2500 km de soluções avaliadas.

Entre todos os trabalhos que tem em marcha, qual destacaria como aquele que poderá vir a ser mais impactante para os condutores portugueses?
Destacam-se as actividades no âmbito da sinalização rodoviária, em particular no que concerne à manutenção do desempenho da marcação rodoviária existente, tratando-se de intervenção de grande importância, de acordo com vários estudos sobre o efeito na redução da sinistralidade rodoviária. E mantendo a aposta na política de eliminação de pontos negros, com medidas de baixo custo e elevada eficácia.

 

 

 

.28
 
 
 
 

LEASEPLAN
SEMPRE EM ACÇÃO

 


ANTIGA BARBEARIA DO BAIRRO

SÉRGIO CORREIA
 

Condutor LeasePlan há mais de uma década, Sérgio Correia sabe que ao volante do seu automóvel, partindo à aventura ou aproveitando o GPS, pode concentrar-se no negócio, pois com a LeasePlan está “à distância de um telefonema para solucionar todos os atritos” de viagem. Vencedor do passatempo LeasePlan/Antiga Barbearia do Bairro, com a frase “a Barbearia é uma tradição, o carro constante evolução e a LeasePlan sempre em acção”, este inspector de vendas de canais on trade e of trade na Mineraqua Portugal poderá agora estacionar e concentrar-se noutros prazeres: o de fechar os olhos e desfrutar de um barbear “à antiga”, porventura imaginando-se no seu Ford Mustang GT500 de eleição.

 
   

PROFISSÃO?
INSPECTOR DE VENDAS CANAIS ON E OF TRADE NA MINERAQUA PORTUGAL.
CONDUTOR PARTICULAR OU ATRAVÉS DA EMPRESA?
ATRAVÉS DA EMPRESA.

CONHECEU A LEASEPLAN...
EM 2001.ATRAVÉS DA EMPRESA, CONTUDO JÁ É A SEGUNDA EMPRESA ONDE TRABALHO QUE TEM CONTRATOS COM A LEASEPLAN.

 

 

.29
     

O QUE ACHA DO RENTING?
O RENTING LEVA AS EMPRESAS A GERIR MELHOR OS CUSTOS FIXOS, SEM NECESSIDADE DE CRIAR ESTRUTURAS PESADAS PARA GERIR A FROTA.
CONDUZIR UM AUTOMÓVEL LEASEPLAN É...
ESTAR À DISTÂNCIA DE UM TELEFONEMA PARA SOLUCIONAR TODOS OS ATRITOS INERENTES AO TRANSPORTE. DESTA FORMA PODEMO-NOS CONCENTRAR NO NEGÓCIO.
COM O MEU AUTOMÓVEL JÁ...
CONTRIBUÍ PARA O CRESCIMENTO DE UMA DAS MAIORES MARCAS DE ÁGUA, ENGARRAFADA, PORTUGUESAS – A ÁGUA CASTELLO.
PERCORRI INÚMEROS QUILÓMETROS...  
60 000 A 70 000 POR ANO

GPS OU AVENTURA?
GOSTO MUITO DA AVENTURA, CONTUDO O GPS DÁ MUITO JEITO.
AUTOMÓVEL DE ELEIÇÃO?
PARA LAZER O FORD MUSTANG GT500 É O CARRO DOS MEUS SONHOS,PARA TRABALHO GOSTO MUITO DO OPEL ASTRA.

 

 

 

.32
 
 
 
SPRINGFIELD

VISUAIS COSMOPOLITAS

Fundada em 1988 com o objectivo de vestir homens jovens, urbanos e cosmopolitas, e desde 2006 também  direccionada às mulheres, a Springfield continua a reafirmar hoje, mais de meio século passado, a sua intenção de criar roupas para pessoas reais, de todas as idades e de todo o mundo.
Com uma equipa de mais de 2000 pessoas, responsáveis pelo design, pelo fabrico e pela venda das peças,  a marca, integrada no grupo Cortefiel, a segunda maior cadeia de vestuário espanhola, faz da aposta na qualidade a sua promessa – da matéria-prima aos acabamentos, tudo






 

 

é pensado de forma a dar a vestir roupa bem confeccionada, natural, fácil de cuidar, combinável e adaptável a diferentes estilos.
De forma a oferecer o mais completo look, a gama da Springfield estende-se do vestuário ao calçado, passando pelos acessórios e pelas fragrâncias. Para os condutores LeasePlan é precisamente um perfume que a marca tem para oferecer: o Springfield Man Forever Free Special Edition, fragrância masculina de aroma amadeirado e cítrico, expressão de um espírito jovem com carácter forte. Saiba na página seguinte como se pode habilitar a ganhar.

 

 

 

.33


PASSATEMPO


A LEASEPLAN E A SPRINGFIELD TEM UM PRESENTE PARA SI!

Para participar tem apenas de nos enviar uma frase onde LeasePlan e Springfield façam de si um condutor " Forever Free"
A mais criativa recebe este kit, gravata e perfume  Forever Free Special Edition. 

 

Para participar clique aqui!


Caso não disponha de uma página pessoal no facebook poderá participar encaminhando um e-mail para contacto.marketing@leaseplan.pt

O passatempo é válido até 28 de Abril.

 

O vencedor do passatempo será anunciado no Clube do Condutor e entrevistado para a rubrica Em Foco da próxima edição da CONDUZA Magazine.

 

 

 

.34
 
 

AZEITÃO/PORTINHO DA ARRÁBIDA

DE AZEITÃO AO PORTINHO, UMA ARRÁBIDA PARA DEGUSTAR


Em Azeitão, diz o povo, vinho não é vinho, mas vinhão. Com um património rico, herança do abrigo que deu à nobreza desde quatrocentos, é nas quintas vinhateiras que está a coroa da região e é daí que brota o seu mais precioso néctar, o moscatel de Setúbal. De portas abertas para visitas, duas das mais importantes produtoras de vinho do país, a casa José Maria da Fonseca e a Quinta da Bacalhôa, são o local para uma prova, idealmente

 


acompanhada das famosas tortas de ovos moles e canela. Regalado o corpo, o convite é para que suba então à Serra da Arrábida ali vizinha e regale também o espírito. Por entre curva e contracurva, desenhadas sobre uma paisagem única de vegetação mediterrânica milenar, bastará uma viagem de menos de 20 minutos para aí descobrir uma outra preciosidade, “um cais sobre a poesia”, como apelidava Sebastião da Gama – o Portinho da Arrábida.
 

 

 

 

 

 

.35

 

UM MIRADOURO HISTÓRICO
Imponentemente localizada no cimo da colina, a Pousada de Palmela alia a solenidade do antigo castelo à tranquilidade característica do convento medieval, ambos seus antepassados. De todos os seus 28 quartos, individualmente decorados, abre-se uma das mais privilegiadas vistas panorâmicas do país, estendendo-se dos campos de vinha da região à Serra da Arrábida e ao Oceano Atlântico. Dispõe ainda de bar, restaurante e espaços para reuniões e eventos.

 


 



COZINHA TRADICIONAL COM TODO O REQUINTE
A promessa é a de deliciosos pratos de cozinha tradicional portuguesa servidos com todo o requinte. No restaurante da Pousada de Palmela as especialidades vão de um estaladiço de bacalhau com cebolinho e coentros a uma empada de perdiz e cogumelos do bosque, sem deixar de passar pelos queijinhos de ovos de Azeitão, sempre na companhia de uma cuidada selecção de vinhos. Todos os domingos ao almoço é ainda preparado um buffet especial de cozido à portuguesa. Os jantares são servidos à luz de velas e, às sextas e sábados, ao som de música ao vivo. Para rematar uma refeição perfeita nada como tomar café no terraço da pousada, com uma vista também ela próxima da perfeição.

 

 

.36
 
 
 


 

 


USADOS SEM NADA A ESCONDER
 


A CarNext é uma marca do grupo LeasePlan, especializada na venda de automóveis usados a particulares e profissionais.
A CarNext disponibiliza os melhores automóveis usados do mercado, provenientes exclusivamente da frota LeasePlan.
A oferta é renovada diariamente, podendo ser consultada em www.carnext.pt
.
Conheça, nesta edição da CONDUZA magazine, as melhores ofertas que temos disponíveis.

 





 

 


UM ÚNICO REGISTO DE PROPRIEDADE

REVISÕES E MANUTENÇÕES EFECTUADAS NA MARCA

QUILÓMETROS REAIS GARANTIDOS

GARANTIA DE DOIS ANOS (PARTICULARES)

 

 

 

.37
  Disponibilidade limitada ao stock existente.
Veja estas e outras ofertas em Carnext.pt
 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

BMW X6 xDrive 35d
59.000

 

 

 

 

 

 

 

 

Volvo V40 1.6 D2 Momentum
27.800

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Volvo V70 D Momentum 5p MY10
22.250 €
 

 

 

 

.38
   

A BOMBA AQUI É O PREÇO
O modelo VW Golf VII Variant 1.6 Tdi Confortline 105 cv está agora disponível por uma renda mensal de 359 €, IVA incluído, em contratos de 48 meses e 80 000 Kms.
Esta oferta, válida apenas para PMEs, inclui revisões periódicas, reparação de avarias, substituição de peças por desgaste, pneus ilimitados, veículo de substituição, seguro de recondicionamento, seguro contra todos os riscos, assistência em viagem 24h e gestão de impostos. Para mais informações, clique aqui.

 

.39


LeasePlan Go
Conduza. Nós tratamos do resto!

 

 

 

 

 

 

 

 




COM UMA LINHA DE APOIO DISPONÍVEL 24 HORAS POR DIA E UMA EQUIPA DE PROFISSIONAIS SEMPRE PRONTA A DAR RESPOSTA
ÀS SUAS
NECESSIDADES

 

 

 

 

 

TRANQUILIDADE, MESMO EM CASO DE ACIDENTE


Com uma linha de apoio disponível 24 horas por dia e uma equipa de profissionais sempre pronta a dar resposta às suas necessidades, o serviço LeasePlan Go garante aos seus condutores uma condução livre de preocupações, sejam quais forem os imprevistos que se lhes atravessem pelo caminho. A gestão de sinistros é, nesse sentido, uma das soluções já incluídas na renda mensal.
Em caso de acidente, basta ao condutor LeasePlan Go assegurar o preenchimento da Declaração Amigável de Acidente Automóvel, obrigatória por lei, e enviá-la com a maior brevidade para os serviços de gestão de sinistros da LeasePlan (por correio, fax ou através do email sinistros@leaseplan.pt); se o automóvel estiver impossibilitado de circular, o serviço de assistência em viagem, acessível na linha de apoio 800 20 42 98, tratará de solicitar a deslocação de reboque e, caso de encontre no estrangeiro, o repatriamento do automóvel e ocupantes, incluindo a viagem de regresso e despesas de alojamento e refeições. O LeasePlan Go encarrega-se então de todos os procedimentos requeridos, desde a disponibilização de um veículo de substituição (quando contratado), até ao serviço de peritagem e acompanhamento de reparações.


 


 

 

 

 

.40
   

 

Relativamente ao veículo de substituição, quando contratado, disponível em qualquer situação de imobilização (não apenas em caso de sinistro, mas também de avaria ou roubo), a categoria e o número de dias são definidos previamente, sugerindo-se uma contratação de 15 dias por ocorrência (60 dias em caso de roubo). Para uma maior segurança durante este período, recorde-se ainda que é disponibilizada a solução adicional Garantia Total Premium, que, quando contratada, estende toda a cobertura do seguro LeasePlan Go a situações de uma utilização menos cuidada do automóvel de substituição que possam acarretar custos muito elevados.
Quanto à peritagem e às reparações, o mote é também segurança e inovação. Em parceria com a seguradora Euro Insurances, é oferecido o serviço de Peritagem Drive-In, nas áreas de Lisboa e do Porto, que permite ao condutor LeasePlan Go deslocar-se a um dos centros de colisão, disponíveis todos os dias úteis das 8h às 12h30, e em cerca de 30 minutos ver a peritagem realizada, evitando-se assim as tradicionais demoras e consequentes incómodos causados.
Caso sejam necessárias reparações, o LeasePlan Go certifica-se também da monitorização do tempo envolvido, bem como da qualidade da sua execução.
Tudo para que possa rapidamente voltar a conduzir o seu automóvel, sempre em tranquilidade.
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 




 


EM PARCERIA
COM A
EURO INSURANCES,
É OFERECIDO O
SERVIÇO DE
PERITAGEM
DRIVE-IN EM
LISBOA E
NO PORTO



 

 

 

.41

CLUBE DO CONDUTOR
Junte-se ao Clube em facebook.com/clubedocondutor e esteja atento às novas iniciativas.

 


NEWS GO!

Todos os meses irá receber no seu e-mail novidades LeasePlan Go. 
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


OS FORNECEDORES LEASEPLAN A UM CLIQUE DE DISTÂNCIA

Seja em caso de sinistro, de manutenção preventiva, de substituição de pneus ou quaisquer outras operações que impliquem recorrer aos serviços dos fornecedores LeasePlan Go, o condutor poderá facilmente pesquisar qual aquele que melhor serve as suas necessidades, graças à plataforma de georefenciação da LeasePlan.
Ler mais aqui.


 

 

 

 

ZOOM

P.23

ANTONIO RAMALHO

ESTRADAS DE PORTUGAL
A segurança rodoviária foi recentemente apontada como um dos pilares de actuação do Governo, depois de um ano de 2013 em que se registaram melhorias significativas. Como avalia a Estradas de Portugal esta evolução da sinistralidade nas estradas portuguesas e a atenção que a matéria tem merecido a nível governamental?

NICOLAU SANTOS

GALINHA DOS OVOS DE OURO
Apesar das críticas fortes que aponta ao Orçamento de Estado para 2014, Nicolau Santos, director-adjunto do Expresso e especialista em assuntos económicos, acredita que este será ...

CLIENTES LONGA DATA

DESDE 1993
Em 1993, a LeasePlan chegou a Portugal com uma inovadora proposta de gestão de frotas.

ROCKBUILDING

ESTRATÉGIA: TRABALHO...
O sucesso de um projecto imobiliário, afirma a Rockbuilding, não depende apenas do cumprimento do prazo, do orçamento ou da qualidade, mas também da capacidade de prever riscos e geri-los antecipadamente.

BARBEARIA DE BAIRRO

SÉRGIO CORREIA
Condutor LeasePlan há mais de uma década


A LeasePlan utiliza “cookies” para melhorar a navegação nas suas páginas web. Os “cookies” recolhem dados estatísticos do utilizador de uma forma absolutamente confidencial e anónima. A informação recolhida é utilizada única e exclusivamente para incrementar a velocidade e usabilidade das suas páginas web. Ao continuar a navegar neste website, está a aceitar a sua política de cookies. Para mais informações consulte a Declaração de Privacidade.